O que é stalking? Saiba o que fazer se for vítima

Classificação:
5/5
Uma situação de stalking ocorre quando uma pessoa é perseguida por outra. O perseguidor faz sua vítima e a segue e monitora de forma implacável.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
stalking é a perseguição pessoal feita por um indíviduo a outro
O que é Stalking?

Stalking é um termo usado para uma perseguição persistente, que pode inesperadamente evoluir para um caso de violência.

Nesta situação o sujeito (perseguidor) invade a privacidade da vítima, usando táticas de perseguição diversas.
Existem casos onde o perseguidor envia presentes agradáveis ou não, aparece em lugares frequentados pela vítima, causando constrangimentos.
Eventualmente, podem usar xingamentos ou gritaria desnecessária para chamar atenção de outras pessoas para a vítima.
Fazer a denúncia não significa se livrar do caso. A polícia chama para esclarecimentos e libera.
Consequentemente pode se iniciar situações de ameaça a sua integridade física, ou mesmo a sua vida.

O fato é que a vítima é transformada em alvo e sua vida passa a ser monitorada diariamente pelo perseguidor.

Não se isole ou fique sozinho com isso, pelo contrário, procure aliados.
Como se dá o assédio
O stalking é mais comum na forma virtual
Também pode ser por ligações telefônicas, mensagens de texto, posts de assuntos pessoais em mídias sociais.
Porém em casos de perseguição prolongada, o autor saí do virtual e passa a seguir a vítima por seus caminhos habituais.
É comum que a vítima não o perceba inicialmente. Mas, sem dúvida, ela se tornará uma caça.
O stalker faz uma varredura na vida pessoal da vítima, e passa a ter sob seu poder até informações sigilosas.
Desta forma a situação de subjugação aumenta: a vítima não deseja tornar públicos seus segredos, aumentando o poder do perseguidor.
Ao chegar nesse nível, o perseguidor já está obcecado e faz questão de ser notado. Isso gera na vítima medo, pânico, restrição de liberdade.
Um caso conhecido aqui no Brasil envolveu a modelo e apresentadora Ana Hickmann, onde o perseguidor acabou morto.
Motivos para o stalking 
Não existem muitos estudos, entretanto são várias coisas que podem provocar o início do stalking.
Na grande maioria dos casos registrados, a vítima conhece seu perseguidor. Por isso, relacionamentos afetivos ou profissionais são mais comuns.
Assim ódio, raiva ou inveja são a motivação.
Pode ser alguém distante, um colega de escola que foi desprezado ou sofreu bulling pela vítima. Neste caso a vingança é a motivação.
Ainda pode ser um desconhecido, que resolver brincar com a vítima, mas depois isso virou obsessão.
Às vezes alguém que foi dispensado após uma cantada. Ele consegue os dados da vítima e começa a perseguição.
Pode ser alguém que desenvolveu um “ amor platônico” pela vítima e não foi correspondido.
Relacionamentos afetivos que finalizaram por motivos diversos são os mais relatados. Alguém que foi desprezado ou traído começa a perseguir.
É muito importante a vítima avisar parentes e amigos do que está ocorrendo. Existem saídas para o caso.
Quem são os perseguidores

O stalking é praticado por pessoas de ambos os sexos, sem distinção social ou econômica. 

Na grande maioria dos casos, os stalkers são homens que não aceitam o fim do relacionamento.
Normalmente a arma pelo perseguidor é o induzir ao medo.

Dois filmes famosos relatam situações de stalking: Atração Fatal e Assédio sexual, com temática diferente, com Michael Douglas.

É possível que ocorram com homens, mas os casos com mulheres como vítima são maiores.

Quem são as vítimas
As vítimas primordialmente são mulheres. .
A perseguição profissional pode ser de ambos os sexos, ou sexos iguais. Normalmente inicia-se sem motivo e o sexo indefere.
É possível que ocorram com homens, mas os casos com mulheres como vítima são maiores.
A perseguição provoca danos emocionais e psicológicos na vítima. Inicialmente esconde o assédio. Passam a se isolar socialmente, viver amedrontadas e em pânico.
Administrar a ansiedade, o medo, o pânico, a consequência drástica da perseguição implacável. Pode ser início de grave depressão.
Muitas vezes ela muda sua rotina para fugir do assédio, e a ansiedade passa a fazer parte de seu dia.
Por consequência, muitas vítimas perdem a capacidade de conduzir a sua atividade profissional, agravando seu isolamento.
Contravenção x Crime 
No mundo o stalking é considerado crime. No Brasil o ato é considerado apenas contravenção. Mas isso pode mudar.
Rose de Freitas e Leila de Barros, senadoras, encaminharam à Câmara dos Deputados pedido para tipificá-lo como crime, passível de prisão.
Nossa legislação é antiga nesse assunto, contudo, deve ser aprovada a tipificação.
A orientação legal é para proceder o registro da ocorrência em delegacia comum ou especializada, abrindo boletim de ocorrência
Isso obriga a polícia à investigação, por isso é importante guardar todas as mensagens como provas.
Às vezes associando a perseguição com a lei Maria da Penha, é possível a prisão.
Se não for, ainda assim podem ser solicitadas medidas protetivas.
Entretanto, o perseguidor é virtual, dificulta sua identificação. Mesmo assim, existem saídas judiciais que podem ser usadas.
Os órgãos federais de investigação podem ser acionados e consequentemente rastrear e chegar ao autor.

Denunciar é a melhor forma de se livrar do problema.

Deixe seu comentário